sábado, 28 de junho de 2008

Coisas sem explicação...

Acontecem certas coisas na vida que não conseguimos explicar, em casos de doença sempre buscamos motivos, por que tais pessoas tem que passar por isso mesmo parecendo ser tão boas, o que nos leva a passar por sofrimentos como doença e morte, por que alguns têm que enfrentar tais situações e outros não...difícil, não? Sempre me faço estas perguntas, quando vejo pessoas idosas sofrendo, mas sofrendo mesmo, sabe aquelas pessoas que já estão desenganadas, que a família reza pela abreviação do sofrimento, mas o doente continua ali, numa prece diária, com um olhar triste implorando pelo descanso eterno, mas parece que não consegue morrer, acontece muito isso tem gente que sofre demais pra morrer, mas porquê? Em casos de tragédia sempre me pergunto qual a explicação pra tal fato. Esta semana foi feriado aqui em Salvador, São João, as férias escolares já começaram, logo muita gente viajou para o interior do estado em busca das famosas festas juninas, e com tudo isso regado a muito licor e noites perdidas, vários acidentes ocorreram nas estradas etambém não é segredo pra ninguém o péssimo estado de conservação das rodovias nordestinas, o que contribui para os acidentes.
Na quinta- feira assumi o plantão e fui surpreendida com a triste história contada pela minha colega, na madrugada ela admitiu 02 crianças vítimas de politraumatismo causado por acidente automobilístico, estas foram transferidas do hospital geral aqui da capital, eu fiquei sabendo de tal acidente na quarta pela manhã enquanto trabalhava, mas como não assisti TV ou li jornal naquele dia não tive noção da dimensão da tragédia, as crianças que ainda estão com a gente no hospital estavam no acidente noticiado abaixo pelo jornal A Tarde, ambos perderam as mães, uma delas estava grávida, o menino de 9 anos também perdeu o irmão de 12 anos, e o seu pai que dirigia o carro está na UTI do mesmo hospital, felizmente já em bom estado.
Acidente mata 3 na BR-324
Adilson Fonsêca, do A Tarde

Um grave acidente na manhã desta quarta-feira, 25, na BR-324, próximo à entrada para o município de Santo Amaro da Purificação (a 71 km da capital), matou três pessoas de uma mesma família. O acidente ocorreu após o encerramento da Operação São João, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), e atingiu, gravemente, seis pessoas de uma mesma família, que viajavam no veículo VW Gol (JRF-4982).
O Gol colidiu com um ônibus, um caminhão-baú e um GM Celta, todos trafegando na pista sentido Salvador. Nenhum ocupante dos outros veículos se feriu com gravidade.
Rosangely Matos Barreto Silva Souza, 38 anos, Eliana Régis de Souza, 35, e o garoto Edson Barreto da Silva Neto, 12, não resistiram ao choque, que destruiu o VW Gol – apesar do esforço, por quase duas horas, das equipes de resgate (PRF e Corpo de Bombeiros de Salvador).
As duas mulheres morreram no local.
O menino ainda chegou a ser levado com vida ao Hospital Geral de Candeias (Grande Salvador), mas, no início da tarde, a Polícia Rodoviária Federal informou que ele também não tinha resistido aos ferimentos.
Um menino de 09 anos e uma menina, de 07 anos, foram resgatados das ferragens e transportados de helicóptero para o Hospital Geral do Estado (HGE). O motorista do VW Gol, Tedson Matos Barreto, cuja idade não foi revelada pelos policiais, ficou com parte do corpo sobre o garoto e a menina.Tedson Barreto foi o último a ser retirado do veículo e também transportado de helicóptero para Salvador. O HGE não divulgou notícias sobre o estado de saúde dos sobreviventes até o fechamento desta edição.Além do VW Gol, o acidente envolveu um ônibus, que fazia transporte clandestino de passageiros, da cidade de Amargosa para Salvador, sem placas; um caminhão-baú que virou no canteiro central; e um GM Celta (JOM-7861).
Motoristas e passageiros do ônibus e do caminhão não sofreram ferimentos, mas Marilene Brandão Oliveira, 36, que estava no Celta, teve suspeita de fraturas e desmaiou, depois de receber pancada na cabeça.
O acidente provocou um engarrafamento na pista sentido Salvador de aproximadamente 50 quilômetros, entre o acesso para Santo Amaro e a saída de Feira de Santana (a 109 km da capital).A polícia teve de interditar uma das pistas para o pouso dos dois helicópteros do resgate, e o trânsito, em contramão, das ambulâncias e demais veículos do Corpo de Bombeiros.O longo congestionamento causado pelo acidente durou até o final da tarde, após as 17 horas. No início da noite, o grande fluxo de veículos ainda retornando à capital manteve o fluxo lento de veículos na BR-324.
Diante de uma tragédia desta, olhando para os olhos tristes, os rostinho inchados, roxos, machucados de duas crianças lindas e inocentes que acabaram de perder as mães, fico indefesa, chorosa e sem entender a razão de tudo isso, me perguntando o por quê... é estranho, uma família ficou sem estrutura, como um pai se sente ao perder uma filha grávida, um neto, uma nora, em ver seus dois outros netos sem mãe, seu filho num leito de UTI se culpando pela perda da esposa e de um dos filhos....a vida é tão complicada não conseguimos desvendar seus mistérios, por que uns têm que passar por isso e outros não...a doença é muito complicada difícil de aceitar, mas e a tragédia??? Uma tragédia como essa nunca é esquecida estes corações nunca serão totalmente confortados...nunca haverá explicação...afinal são duas crianças que tiveram as mães arrancadas pela morte sem dó nem piedade...
TENHAM TODOS MUITO CUIDADO NAS ESTRADAS...PRESERVEM SUAS VIDAS E A DOS OUTROS...

2 comentários:

disse...

Olá minha querida!
O que anda acontecendo nas estradas e ruas de nossas cidades é de ficar alarmados e tristes mesmo.
A bebida, a imprudência e falta de atenção está cada vez maior.
Saudades de ti!
Grandes beijinhos em seu coração e a todos seus pacientes principalmente no Luís.
Rô!

Patyca disse...

Oi Paola
Sou tia de Caio Cezar o menino do acidente de carro em 25/06/2008, pois é, perdi minha irmã e meu sobrinho de 12 anos até hoje é muito dificil de até mesmo acreditar no que aconteceu. Só queria mesmo poder agradecer. Que deus ilumine a todos e em cada profissão, desde o resgate até o ultimo contado dos sobrevivente e falecidos que de certa forma direta ou indiretamente cuidaram deles. Um abraço carinhoso e muita força para luis e sua familia. obrigada tambem pelas palavras de consolo.