sábado, 5 de julho de 2008

"A esperança de Humanizar"...


Essa semana recebi um convite de formatura de uma turma de enfermagem que me chamou muita atenção, nele dizia logo na primeira página:

" A enfermagem é uma profissão que se desenvolveu através dos séculos, mudando a história da humanidade. O papel preponderante da enfermagem sempre esteve vinculado ao bem estar e ao cuidado com a vida, se desenvolveu ao longo do processo histórico das civilizações. No entanto, os avanços tecnológicos-científicos e a modernização têm desviado o enfermeiro de suas verdadeiras funções. Assim, esse profissional vem assumindo, cada vez mais, encargos administrativos pertencentes a outras áreas. Com isso, surge a necessidade de resgatar valores humanísticos que norteiam o trabalho daqueles que fazem da assistência o seu objetivo maior; pois corpo e emoção são indivisíveis!"

Digo que me chamou a atenção por que depois que nos formamos e entramos na dura rotina do trabalho hospitalar perdemos um pouco esta visão humanística, sempre faço de tudo pra não deixar de ser "humana", porém sei o quanto é difícil, as rotinas administrativas consomem nosso tempo, cada vez passamos menos tempo ao lado dos pacientes nas enfermarias, já cheguei a ouvir de um paciente que ele não gostava quando eu designava um técnico pra fazer seu curativo pois durante o curativo era o único momento que ele tinha pra conversar, rir e jogar conversa fora comigo, sei que isso é HUMANIZAR, apesar de estar em meio a um procedimento eu o distraio, conversamos amenidades, saímos da rotina, gosto de parecer engraçada, de fazê-lo rir com minhas histórias, mas às vezes não dá tempo...fico triste em dizer isso mas tem dia que não dá... fico com 4 técnicos numa enfermaria com 29 leitos, some aí : as mães, os pais, os inúmeros acompanhantes, os médicos solicitando isso e aquilo, as altas, as admissões, as quimioterapias, os curativos, a papelada, os exames para cobrar, o telefone que não para de tocar e sempre é para a enfermeira, as prescrições médicas para eu aprazar os horários das medicações, não sei quem que faltou e você tem que dobrar, o marido em casa a choromingar...a coluna que dói, os rins que reclamam, ops hoje não bebi água...meu Deus não fiz nem ao menos xixi, pois quando consegui ir até o banheiro ele tava ocupado e aí me chamaram, chegou admissão, alguém passou mal...chamem o plantonista....é enfermeira daqui, enfermeira de lá, o nome doce de se chamar....Ah meu Deus, me ajude, Maria passa na frente pra eu não surtar...
Tão vendo essa é a vida da enfermeira, e com tudo isso Humanizar às vezes vai pra segundo plano... Mas como Deus é bom as vezes recebemos um tapa com luva de pelica, como esse convite que recebi, me alertou me abriu os olhos e não me deixou esquecer que apesar de todas as funções designadas a mim, a mais importante e a que deve estar associada a todas as outras é ser "Humana", sentir a dor do outro, doar confiança e dedicar-se ao extremo, se entregar e levar alegria , cuidar e curar através do amor.

2 comentários:

Sahmany disse...

Oi querida!!!
Vim correndo, até perdi o fôlego aff! hehe.
Menina, imagino que não deve ser nada fácil essa sua profissão.
Você com certeza deve ter uma interior enorme não é?
Li suas palavras aí e fiquei aqui tentando imaginar.
Obrigada por seu comentário la no Amigão. E vai lá casa quando tiver um tempinho ok? Está sempre aberta pra receber gente boa como vc.
Beijos.

Du disse...

Paola, eu trabalhei 8 anos em um hospital e sei muito bem como é essa vida de enfermeira! Muitas cenas vieram a minha mente lendo seu post, cenas emocionantes, inesquecíveis até! Mas não é nada fácil, eu sofri muito também com o sofrimento alheio...
Foi uma fase de muito aprendizado e evolução espiritual pra mim.
Que Deus te abençõe sempre!
Beijo